PUBLICIDADE
Segunda-feira, dia 23 de Outubro de 2017
SEJA BEM VINDO À RÁDIO MUCURI AM 1.320 - TEÓFILO OTONI/MG
NOTÍCIAS - Entretenimento
11/08/2015
Japão reinicia primeiro reator nuclear após quatro anos de Fukushima

Reator 1 da central de Sendai vai gerar energia elétrica até sexta-feira (14).
200 pessoas protestaram diante da entrada da central.Um primeiro reator nuclear entrou em funcionamento nesta terça-feira (11) no Japão, quatro anos após o acidente de Fukushima, que provocou o fechamento de todas as usinas nucleares no país a partir de setembro de 2013.

"O reator número 1 da central de Sendai (1.000 km a sudoeste de Tóquio) foi reiniciado às 10h30 local (22h30 de segunda, 10, no Brasil)", anunciou uma porta-voz da companhia operadoO reator, de 31 anos, deve atingir sua plena capacidade operacional por volta das 23h00 (11h00 Brasília) e começar a gerar energia elétrica na sexta-feira (14), com a retomada da exploração comercial no início de setembro, informou a companhia.ra Kyushu Electric Power. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou na noite de segunda-feira (10) que a retomada é acompanhada de todas as medidas de segurança, que "devem ser a principal prioridade".

O governo conservador defende a reativação do setor nuclear especialmente por questões econômicas, diante do custo da energia importada. A administração deseja que a energia nuclear gere 22% da energia elétrica no Japão até 2030, um porcentual menor que antes de Fukushima.

Mas a maioria da população questiona a validade da reativação, qualificada de "erro" por Naoto Kan, primeiro-ministro no momento do acidente de Fukushima e hoje um dos principais críticos da energia nuclear.

Um grupo de 200 pessoas - procedentes de várias regiões do Japão - protestou diante da entrada da central de Sendai aos gritos de "contra as reativações", segundo a rede de TV estatal "NHK". Na noite desta terça deverá ocorrer outra manifestação, desta vez em frente à casa de Abe em Tóquio.

"O acidente de Fukushima ainda não foi resolvido e suas causas, elucidadas. Então, por que motivo vamos reativar um reator?", questionou em Sendai um morador de Fukushima.